sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Operação desarticula 11 serrarias clandestinas no interior do MA


Uma operação da polícia conseguiu desarticular 11 serrarias que ficavam próximas a aldeias indigenas, nas cidades de Centro do Guilherme, Centro Novo e Buriticupu, no interior do Maranhão. Além de cortar e retirar madeiras ilegalmente das matas, as serrarias clandestinas também praticavam furto de energia.

A estiagem, que vai de junho a dezembro no Maranhão, está interferindo em uma atividade que precisa de muita água para ser desenvolvida - a piscicultura. No Vale do Pindaré, criadores de peixe tiveram que se adaptar ao ciclo de chuva e seca da região pré-amazônica.

A falta de preservação da Lagoa das Garças, em Imperatriz. O lugar guarda a vida de animais e plantas e tenta sobreviver em meio ao crescimento desordenado de casas e outros imóveis, no oeste do Estado. O lugar, que já foi objeto de estudo da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), agora precisa de ajuda.

Os produtores rurais do leste do Estado que tiveram a oportunidade de fazer o cadastro ambiental rural, o Car, durante a Agritec, a Feira da Agricultura e Tecnologia do Maranhão, realizada em Caxias. O cadastro auxilia no processo de regularização ambiental de propriedades e posses rurais.

E já no sul do Estado, o cenário é de falta de chuva. O clima seco atrasa o início do plantio da safra de soja, o que pode resultar em prejuízos para os agricultores. Apesar de ter começado a chover, a região sofre com pequenos períodos de estiagem conhecidos como "veranicos", um efeito do fenômeno "El Niño", que devem chegar com mais força nos próximos meses.


reportagem. Willame Policarpo

acesse e acompanhe o blog do Willame policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário