sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Vereadores da oposição justificam ausência em sessão que votaria a previsão de gastos na Lei Orçamentária Anual do município Santa-Luziense

Os vereadores da oposição Santa-Luziense, a saber, o Airton Alencar, o Josué Borges, a Lucinete Costa, o Willame Policarpo e o Railson Fernandes, sentem-se muito desconfiados com a previsão de gastos enviados pela prefeitura municipal para votação em dois turnos na câmara de vereadores da cidade. 
 
O primeiro questionamento feito pelos vereadores que estiveram reunidos na residência da vereadora Lucinete, na tarde de quinta-feira (12), se dá principalmente ao fato do não questionamento esmiuçado desta previsão em outras épocas, pois na maioria da vezes, é histórico o de fato de que na falta de compromisso observadas em alguns parlamentares, estes apenas levem em consideração os valores finais para dá a sua canetada, aprovando um projeto que pode comprometer em muito o futuro da administração da cidade ano a ano. Isso é tudo que a oposição não quer que aconteça!
 
Dentre os detalhes ressaltados nesta reunião, por exemplo, um dos mais gritantes na opinião do polêmico vereador Airton está no fato de haver uma previsão de gasto do gabinete da prefeita bem superior ao de secretarias como a de esporte e de agricultura. Outro agravante ponderado nestas observações, refere-se a inexistência da atuação de algumas secretarias, tal como é o caso da secretaria de pesca e secretaria da mulher, lembrou os vereadores Railson e Novinhas, aos quais, além de não atuarem, não se sabe quem são os seus titulares secretários. Outra dúvida similar questionada pelo vereador Railson é sobre quem seriam os secretários substitutos em algumas áreas do governo, como é caso do meio ambiente e a articulação política. A previsão de reajustes para profissionais da saúde e da educação também foram temas colocados em destaque na projeção de gastos pelos vereadores ao compararem números atuais com percentuais que poderão vir a ser adicionados, um ponto de discussão co-relacionado na LOA que é de sumo interesse dos sindicatos.
 
Para os vereadores da situação com as quais conversamos na sessão cancelada por falta de quórum, ficou o sentimento de revolta com atitude de seus pares visto que a votação da LOA tem o caráter de votação urgente e porque a mesma já tramitava nas comissões há mais de um mês, justificou o vereador Marquinhos, o presidente da casa legislativa. 
 
Diante de todo este impasse, já é previsível para alguns cidadãos que companham de perto as sessões legislativa de que haverá aí uma batalha política para os próximos dias entre os dois blocos de representação de nosso edil (entre o bloco dos governistas e a mais unida do que nunca oposição lSanta-Luziense). 
 
Conclusivamente, explicou o vereador Paulinho que de acordo com o regimento interno, a aprovação da LOA deve acontecer em sessão exclusiva para esta matéria, necessita de dois terço de assinaturas para a sua aprovação e satisfaz o pleno cumprimento a Lei de Responsabilidade Fiscal, indagou. Segue abaixo documentos com os quantitativos da LOA e a mensagem do Poder Executivo:



reportagem. Willame Policarpo

acesse e acompanhe o blog do Willame policarpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário