quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Deputado Josimar de Maranhãozinho faz apelo em defesa dos recursos hídricos do estado


Em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho saiu em defesa da recuperação e preservação das nascentes de águas dos rios, riachos, ribeirões e córregos.
Logo de início ele agradeceu a Casa pela aprovação do Projeto de Lei nº 117/2015, da sua autoria, que institui as diretrizes para o Programa de Identificação, Catalogação, Recuperação e Preservação das Nascentes de Águas, dos Rios, Riachos, Ribeirões e Córregos.
Consciência ecológica
O parlamentar argumentou que em suas andanças pelo Estado do Maranhão constatou muitos problemas de natureza ecológica. Segundo ele, os córregos praticamente desapareceram, a depreciação dos ribeirões tem causado muito impacto no meio ambiente, os riachos só estão cheios se o inverno for muito rigoroso e os rios do Maranhão perderam muito da sua capacidade.
“Eu peço a sensibilidade do governador para esse assunto, pois ainda é tempo, em um futuro bem próximo pode ser que a natureza não mais permita. Sei que é um investimento alto, mas para alcançarmos o êxito e a qualidade teremos que pagar o preço e é um preço pela vida, pois água potável é vida”, solicitou Maranhãozinho.
Quando prefeito em Maranhãozinho no primeiro mandato em 2005, Josimar fez um estudo dos recursos hídricos do município. Naquele ano era possível cavar um poço com capacidade de vasão de 20 mil litros/hora com 150 metros de profundidade. Hoje para se obter 12 mil litros/hora só é possível cavando um poço com cerca de 320 metros de profundidade.
O parlamentar alertou que só a preocupação dos gestores com o abastecimento das suas cidades não é o suficiente, é preciso cuidar das nascentes e mananciais. Finalizando ele cobrou do governador do estado um estudo geográfico com seriedade para evitar o desabastecimento em um curto prazo, ele citou ainda o exemplo de grandes cidades que sofrem com a falta d’água e o desabastecimento como São Paulo.


reportagem. Willame Policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário