quarta-feira, 6 de abril de 2016

Professores de SLP realizam paralisação de alerta a partir desta quarta-feira (06), quinta-feira e sexta-feira em prol de reajustes para a categoria.


Professores da rede municipal de ensino, principalmente aqueles ligados ao núcleo do Sinproesemma, decidem paralisar suas atividades docentes em Santa Luzia do Paruá a partir desta quarta-feira (06) e por mais dois seguidos, caso a classe não venha receber respostas quanto ao pagamento do reajuste de 11,36%, estabelecido pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado o projeto na lei PLS 114/2015 que aumenta o piso salarial dos professores para 2016.

Se por um lado não existe na Lei 11.738 a punição ao gestor que descumpre o correto repasse do piso com seus devidos reajustes, por outro, a mesma lei prevê no artigo 4º a indicação para que a União complemente as verbas dos entes federativos que não tenham condições de arcar com os custos do pagamento do piso nacional do magistério, mediante a comprovação da insuficiência de recursos. 

A sequência de acontecimentos leva aos professores a desconfiarem das intenções e das justificativas da administração municipal, que, curiosamente é rigorosa no ato de efetuar os descontos salariais não avisados do imposto sindical nacional nas contas destes servidores mas é sobretudo inoperante na disposição de repassar os benefícios dos professores que já estão previstos em lei e tem como pagar, garantem os membros diretores do Sinproesemma. 

A previsão é a de que a paralisação evolua para uma greve por tempo indeterminado, decisão que poderá ser deliberada em assembleia extraordinária até domingo próximo, dia 09.


reportagem. Willame Policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário