terça-feira, 31 de maio de 2016

FAMÍLIA LIGADA AO PREFEITO DE BARREIRINHAS ADMINISTRA E SAQUEIA ESCOLAS DA ZONA RURAL

A péssima administração do prefeito Léo Costa em Barreirinhas tem gerado abandono em todos os setores da cidade. 


De acordo com a denúncia, a escola Joaquim Mattos Carvalho que fica na comunidade rural Braço está sendo saqueada por uma família que tomou posse da administração da escola e da comunidade pelo fato dos membros serem cabos eleitorais do prefeito Léo Costa.
leo-costaA reforma da escola teve início ainda em 2014, porém deveria ser concluída na atual gestão, já que os alunos precisavam de uma escola com estrutura digna para o aprendizado.
No entanto, a reforma não ocorreu e sim a apropriação indevida do local visando apenas beneficio próprio de membros de uma família que são ligados ao atual prefeito.

A apropriação e particularização da escola pela família aumentou ainda mais o descaso no local, os vícios foram praticados de forma irregular em todos os setores. Pais de famílias não sabem a quem recorrer, até mesmo o material de construção deixado pela gestão passada foi retalhado de forma indevida e utilizado em propriedade particular da família.
Os professores que trabalham na escola são todos membros da família, o que gera total falta de respeito já que a maioria deles não possui se quer o ensino fundamental completo. A falta de competência tem deixado os alunos retraídos e com aprendizagem fraca.
O ensino atrasado aumentou o analfabetismo no local, fora as aulas de educação física em que os alunos são obrigados a correrem por horas no sol quente. Um verdadeiro absurdo.
A administração da escola junto com o sr. Zé preto, colocou vários prestadores de serviços para realizar a limpeza da escola, porém depois de meses sem remuneração os trabalhos foram paralisados. Diante a sujeira acumulada os pais dos alunos foram intimados para fazer a limpeza das salas de aulas, onde de imediato se recusaram sobrando para os professores a obrigação.
A desordem também se instalou no setor do transporte, sem pagamento os motoristas deixaram de levar os alunos para os povoados, tornando-lhes obrigados a caminharem quilômetros no sol quente para chegar até as salas de aulas. Muitos ainda enfrentam o perigo das viagens clandestinas em veículos não-autorizados e motocicletas com até quatro alunos.
O dinheiro do caixa escola é movimentado sem fiscalização como se não fosse dinheiro público. A má aplicação foi detectada de várias formas, como a construção de um portão desnecessário e nunca concluído e o não pagamento do fornecimento de água encanada.
Devido a suspensão do fornecimento de água, mais dinheiro público foi torrado cerca de R$ 50.000.00 foram utilizados para a construção de um poço dentro de propriedades da família e bem longe da escola.
Ao serem questionados sobre o dinheiro do caixa escola, a família sempre tem a resposta de forma irônica: “O dinheiro foi feito uma casa no interior, braço; uma na cidade de Barreirinhas e um aniversário familiar”. E para piorar a situação, caso alguém tente se manifestar contra os absurdos vivenciados acaba sofrendo ameaças por integrantes da família que debocham da cara do povo dizendo :”podem denunciar em Barreirinhas, o prefeito está do nosso lado, é tempo perdido de vocês”.
Junto a todos esses problemas, ainda existe o abandono nas moradias do projeto do Governo Federal que devido o sumiço do dinheiro as residências ficaram pela metade, tendo os moradores que arcar com o restante do investimento da obra.

reportagem. Willame Policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário