segunda-feira, 23 de maio de 2016

Terror nos presídios de Fortaleza, corpos humanos são incendiados e rasgados a facadas.

Uma grande rebelião explodiu no final de semana à noite em todo o sistema carcerário de Fortaleza, no Ceará, que resultou até agora em oito mortes e centenas de feridos.
A rebelião, já controlada, durou 15 horas e foi motivada pela ausência dos agentes penitenciários que estavam em greve.
Os detentos tocaram fogo em seus colegas de celas, que ficaram com os corpos carbonizados e outros tiveram os corpos rasgados até a morte por chutes, facas e vergalhões.
Os presídios ficaram totalmente destruídos na parte das carceragens.
Oito cadáveres foram retirados mais é bem provável que possam surgir outros porque geralmente quando acontece esse tipo de rebelião seguido de morte, os detentos sempre escondem os corpos.
A rebelião aconteceu simultaneamente na região Metropolitana  nas Casas de Privação Provisória da Liberdade (CPPLs), 1, 2, 3 e 4, todas localizadas no Complexo Penal em Itaitinga;  além do Instituto Penal Desembargadora Auri Moura Costa (Presídio Feminino), em Aquiraz;  e o Presídio do Carrapicho, sediado na cidade de Caucaia.
Eles se rebelaram assim que foram proibidas as visitas por causa da ausência dos agentes penitenciários. Os familiares dos detentos interditaram as vias próximas aos presídios, a exemplo da BR-116.
O governador cearense Camilo Santana (PT) foi ao Palácio da Abolição e atendeu aos pleitos dos agentes grevistas que terão 100 % no valor da gratificação escalonada em dois anos.
veja os vídeos.....


reportagem. Willame Policarpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário