terça-feira, 7 de junho de 2016

LAVRADOR ACUSADO DE MATAR ESCRIVÃ DA POLÍCIA CIVIL É JULGADO EM CAXIAS


Francisco Alves da Costa é acusado de matar Loane Maranhão em 2014.
Promotoria de Justiça pede a pena máxima ao lavrador.



Loane Maranhão tinha 32 anos e foi morta em Caxias com uma facada no pescoço (Foto: Reprodução/TV Mirante)


O lavrador Francisco Alves da Costa, de 43 anos, acusado pelo assassinato da escrivã da Polícia Civil, Loane Maranhão, está sendo julgado nesta terça-feira (7), no Fórum Desembargador Arthur Almada Lima, no município de Caxias, a 360 km de São Luís.
Loane Maranhão tinha 32 anos e foi morta no dia 15 de maio de 2014 pelo lavrador quando tomava o depoimento dele na Delegacia da Mulher, situada na cidade de Caxias. Loane foi morta com uma facada no pescoço. Na ocasião do crime, a também escrivã Marilene Almeida foi atacada pelo lavrador, porém, sem muita gravidade.
A mãe de Loane, Eliane Maranhão da Silva, afirma que espera que a justiça seja feita no caso de sua filha. “Durante esses dois anos depois da morte da Loane a gente vive sofrendo, angustiada, mas esperando pacientemente para que a justiça hoje funcione. Não que ela não funcione, mas que funcione da maneira que a gente espera. Que seja dada uma pena máxima a esse homem. Ele matou a minha filha, ele tentou matar outra pessoa”, desabafou.
A Defensoria Pública não quis se pronunciar sobre o assunto. Já a Promotoria de Justiça, representada pelo promotor Vicente Gildásio, pede a pena máxima por homicídio duplamente qualificado e por tentativa de homicídio também qualificada contra a escrivã que ficou ferida durante a ação criminosa.
“Pela a barbaridade do crime cometido, pelo modo como foi dentro da delegacia, contra policiais exercendo a sua função a nossa meta é atingir pena máxima pelos dois crimes”, finalizou o promotor de Justiça Vicente Gildásio.

reportagem. Willame Policarpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário