quarta-feira, 8 de junho de 2016

POLÍCIA PROCURA SUSPEITOS DE COMETER DUPLO HOMICÍDIO EM IMPERATRIZ, MA

Os adolescentes mortos já tinham passagens pela polícia por roubo.
Segundo delegado, morte pode ter sido motivada por um acerto de contas.

Os adolescentes foram mortos a tiros nesta terça-feira (7) em Imperatriz, MA (Foto: Reprodução/TV Mirante)

A Polícia ainda não identificou os suspeitos de terem assassinado dois adolescentes nesta terça-feira (7), em Imperatriz, a 626 km de São Luis. As vítimas, identificadas como Luís Fernando Farias Frasão, de 16 anos, E Ruan Borges Barbosa, de 17 anos, foram mortos a tiros e já tinham passagem pela polícia.
De acordo com o subcomandante do 14º Batalhão de Imperatriz, o major Diniz, a suspeita é que o crime tenha sido por acerto de contas. "Os dois elementos estavam desde crianças no mundo do crime. Já tiveram várias passagens por roubo, tráfico. Eles também eram usuários de drogas", explicou.
A Polícia ainda não identificou os suspeitos de terem assassinado dois adolescentes nesta terça-feira (7), em Imperatriz, a 626 km de São Luís. As vítimas, identificadas como Luís Fernando Farias Frasão, de 16 anos, E Ruan Borges Barbosa, de 17 anos, foram mortos a tiros e já tinham passagem pela polícia.
De acordo com o subcomandante do 14º Batalhão de Imperatriz, o major Diniz, a suspeita é que o crime tenha sido por acerto de contas. "Os dois elementos estavam desde crianças no mundo do crime. Já tiveram várias passagens por roubo, tráfico. Eles também eram usuários de drogas", explicou.
O duplo assassinato chama atenção para uma situação peocupante: adolescentes vítimas de assassinatos. Segundo a Polícia Civil, o número de vítimas entre jovens é grande e uma das explicações está no envolvimento com atos infracionais.
O delegado regional, Eduardo Galvão, explicou que a cada ano, o número de apreensões aumenta. Ele conta que, em muitos casos, os crimes executados se relacionam com crimes anteriores cometidos por adolescentes.
"A grande maioria desses crimes está relacionados a crimes anteriores. Se envolvem muito cedo em atos infracionais e acabam sendo mortos por causa de delitos praticados anteriormente. Temos observado que a cada ano, o número de apreensões aumenta. Isso se dá com ausência de políticas públicas e com a falta de modificação no Estatuto da Criança e do Adolescente", finalizou.
Segundo Polícia Civil, tem aumentado o número de casos de adolescentes apreendidos (Foto: Reprodução/TV Mirante)


















reportagem. Willame Policarpo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário