quarta-feira, 29 de junho de 2016

POLICIA CIVIL NÃO ACEITA PROPOSTA DO ESTADO E GOVERNO DECLARA GUERRA CONTRA A CATEGORIA

A categoria de policia civil do estado do Maranhão decidiu iniciar o movimento conhecido por Polícia Legal. A decisão foi tomada após o encerramento da greve e a recusa em aceitar a proposta oferecia pelo governo que não cobria nem mesmo a inflação do período correspondente.


greve2


De acordo com a lei, o movimento consiste em realizar as atribuições da polícia judiciária estritamente, que na atual circunstância representa na verdade uma greve. A categoria chama a atenção para a falta de estrutura de trabalho para os agentes, principalmente no interior do estado.
As represálias por parte da secretaria de segurança já se iniciaram em várias cidades do Maranhão. Em Pinheiro, por exemplo, o delegado regional tem agido rigorosamente e seguindo as ordens que lhe são dadas. Foi extinguido o regime de plantão e foi exigido que todos os policiais se apresentasse na delegacia regional, até mesmo aqueles que trabalham em cidades vizinhas ou mais distantes e caso não aparecessem iria sofrer pena de falta.
A medida foi adotada depois que investigadores e escrivães adotaram o “Polícia Legal”. Vários policiais tem se sentido coagidos e penalizados por conta da atitudes dos demais colegas.
Outra justificativa dada pelo degelado Carlos Renato de Oliveira foi o fato dos policiais terem saído de um grupo de WhatsApp da delegacia regional criado pelo próprio delegado.  A atitude foi considerado uma afronta.

A República fundada pelo governador Flávio Dino, como ele mesmo se referiu quando tomou posse, parece estar se transformando em uma ditadura.

reportagem. Willame Policarpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário