quinta-feira, 21 de julho de 2016

Em nota à sociedade, policiais militares de Santa Luzia do Paruá ressaltam as dificuldades vividas devido ao efetivo limitado e a branda legislação.



Na contramão da lógica, uma minoria coloca sobre policiais militares e civis um fardo desnecessário e injusto tendo em vista o aumento no número de homicídios, roubos e ações criminosas nas cidades do interior do Maranhão, o que muitos deixam de observar é a inoperância da justiça que acaba com decisões retrogradas facilitando a vida de bandidos e criminosos que em pouco tempo retornam à sociedade sem sequer cumprirem um limite estipulado de pena.

Em meio a tantas cobranças desnecessárias e por vezes injustas, os policiais do 2º Pelotão da Polícia Militar de Santa Luzia do Paruá resolveram expor à sociedade luziense a triste realidade por trás da farda de um policial militar hoje.


CONFIRA O TEXTO NA INTEGRA LOGO ABAIXO:


"Em nome do 2º Pelotão de Polícia Militar da cidade de Santa Luzia do Paruá-MA, relato assunto que é de interesse da Segurança Pública do município. 

Um problema que tem tirado o sossego da população no que diz respeito à ocorrências de roubo de celular, não tem sido uma exclusividade de Santa Luzia do Paruá. 

Cidades em toda a região e também de outros estados, têm sofrido com o espantoso crescimento da criminalidade que cada vez mais faz aumentar a sensação de insegurança no meio em que vivemos. 

Em Santa Luzia do Paruá, vários são os fatores que representam adversidades ao trabalho desenvolvido pelas forças policiais que atuam no município, dentre elas podemos destacar algumas:


A falta de um contingente policial a altura das necessidades do município. Pra se terem uma ideia, conversando esta semana com o Sgt N. Lima, com quem trabalho, o mesmo me disse que quando veio trabalhar pela primeira vez na cidade em 1996, na época, o efetivo policial era de 06 policiais militares lotados na cidade. Após vinte anos, ou seja, duas décadas depois, o contingente ainda continua o mesmo.


Outro fator adverso, é a falta de recursos necessários para custear despesas no desenvolvimento das atividades de segurança pública, tudo é sempre escasso, em muitas situações os profissionais não contam com absolutamente nada em termos financeiros. 


Nossa legislação, ou seja, nossas leis, tornaram-se um enorme e atrativo convite para o aumento desenfreado da criminalidade, o infrator, sabe de có e salteado como ela se apresenta, não intimidando nenhum pingo suas intenções de lesar e praticar crimes contra o cidadão que cada vez mais, se senti desassistido e acoado pelo medo. Nas últimas semanas, cerca de 18 infratores que estavam presos na DP desta cidade, foram liberados e colocados nas ruas graças as nossas leis. 


Oitenta por cento ou mais dos crimes de roubo que ocorrem na cidade, são realizados por menores infratores, sendo que nossa legislação os tratam como inimputáveis. 

Mas uma coisa gostaria de registrar, não falta dedicação e nem esforço por parte dos profissionais no exercício de nossas funções. Esta semana, demos uma intensificada nas atividades de policiamento e após muitas abordagens, em uma delas, realizamos a prisão em flagrante de um meliante que ao ser revistado, portava em sua cintura arma de fogo de fabricação artesanal (garrucha). 



Com sua prisão, o mesmo fora reconhecido por vítimas de pelo menos três ocorrências de roubo. Também nesta semana, conseguimos recapturar um fugitivo da última fuga de presos da DP desta cidade, o qual responde pela acusação de ter cometido estupro de duas crianças. 

Uma motocicleta roubada de uma vítima do Alto do Abel, nesta cidade, foi recuperada após dois dias da ocorrência e agora encontra-se à disposição do devido proprietário. Enfim, é como foi dito, não falta dedicação e esforço no desempenho das atividades policiais. 


As adversidades são enormes, a batalha é difícil, mas temos a consciência do importante papel que representamos junto à sociedade. Graças a Deus, o trabalho realizado tem sido reconhecido por grande maioria da sociedade Luziense, e nós não mediremos esforços para procurar melhorar ainda mais as atividades. 


Fica aqui o alerta, previnam-se um pouco mais, nas rondas que realizamos pelas ruas e bairros da cidade, observamos muitas pessoas em situação de muita exposição às ações dos meliantes, fiquem mais alertas, previnam-se, é aí que o criminoso encontra facilidade em praticar seus crimes." - Policial Militar (representando o 2º Pelotão)

 

Reportagem Willame Policarpo
Fonte A Cidade de Verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário