quinta-feira, 6 de julho de 2017

“Não queria matar, só dar um susto”, diz acusado de assassinar Yago Sik em Brasília


Acusado de matar o DJ Yago Sik, 23 anos, com dois tiros na saída de uma festa no Conic, Lucas Albo, 22, afirma que não tinha intenção de matar a vítima, mas, apenas “dar um susto” no rapaz. Os investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), porém, consideram que o crime premeditado, uma vez que Lucas saiu da boate para pegar a arma, voltou ao Conic e esperou até que Yago saísse da festa para executá-lo. 
Segundo Rogério Oliveira, delegado chefe da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), ele será indiciado por ameaça, injúria, homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima. Se condenado, pode pegar de 15 a 30 anos de prisão.
Após o crime, que ocorreu às 6h de domingo (2), Lucas teria se escondido na casa de conhecidos em São Sebastião, onde esteve até à noite dessa terça-feira (4). Ao ser apresentado à polícia, o acusado chorou muito e negou o uso de qualquer tipo de entorpecentes. Ele, porém, não soube explicar como saiu do local do crime e disse não saber do paradeiro da arma utilizada.
A prisão decorreu a partir de negociação entre a Polícia Civil e o advogado de defesa de Lucas, que solicitou que o acusado não fosse apresentado à imprensa. Com a polícia já a caminho da casa onde o rapaz mora com a família, no Jardim Botânico, o suspeito teria fugido, mas minutos depois voltou ao local e se entregou. Lucas já foi preso duas vezes por porte de arma de fogo e, segundo a investigação, a família se mostrou extremamente chocada com o crime e ajudou na negociação que resultou na prisão de Lucas.
Sobre as mensagens que Lucas teria enviado à namorada, no momento em saiu da festa para buscar a arma que tirou a vida de Yago, o acusado confirma. “Enviei, sim”. Nas imagens, é possível ler os xingamentos que Albo direcionou à jovem, além de ameaçá-la de morte.
Com gritos de ‘justiça’ e ‘assassino’, amigos e familiares de Yago estiveram na delegacia nesta manhã, à espera de Lucas Albo. “A prisão do Lucas não traz Yago de volta, mas é justiça. O Yago era luz. Foi vítima de inveja. Pra mim, foi a melhor surpresa a prisão do Lucas”, conta Eva Rodrigues dos Santos, 24, amiga da vítima.
Os amigos da vítima pretendem fazer uma festa beneficente, com DJs amigos do rapaz, na intenção de arrecadar agasalhos e fazer uma boa ação em nome de Yago como forma de despedida.
Lucas passará a noite na 5ª DP e será transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda nesta quinta-feira (6/7).
FONTE: JP
REPORTAGEM : WILLAME POLICARPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário