quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Maranhão terá quinto campo de gás natural até o fim do ano.

Hoje, existem 22 empresas detentoras de concessões em áreas situadas no Maranhão, sendo que dez delas atuam na Bacia do Parnaíba.

Carlos Brandão com o ministro Fernando Bezerra Filho, o prefeito Bigu, o presidente Pedro Zinner e demais membros do ministério, da companhia e do Estado e Prefeitura, durante visita de campo à Eneva.
  
O vice-governador Carlos Brandão, representando o governador Flávio Dino, participou, nesta segunda-feira (20), de uma comitiva formada pelos governos municipal, estadual e federal para vistoriar as áreas dos cinco blocos exploratórios, na Bacia do Parnaíba, que foram arrematados pela empresa Eneva, em setembro deste ano, durante leilão realizado na 14ª Rodada de Licitações da Agência Nacional de Petróleo (ANP), vinculada ao Ministério de Minas e Energia.
Carlos Brandão chegou a Santo Antônio dos Lopes com Fernando Bezerra Filho, ministro de Minas e Energia. Eles foram recebidos pelo prefeito de Santo Antônio dos Lopes, Emanoel de Oliveira (o Bigu) e pelo secretário municipal de Indústria e Comércio, José Antônio de Sousa Neto. Os outros membros que integraram a comitiva foram: Eduardo Azevedo, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético; Márcio Félix, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis; Fábio Lopes, secretário de Energia Elétrica; Pedro Zinner, diretor presidente da Eneva; Lino Cansado, diretor de Exploração e Produção; Carlos Ferreira, presidente do Conselho de Acionistas; Henrique Rezezinski, diretor de Relações Institucionais e Regulatório; Ronnan Dias, diretor de operações do Complexo Termelétrico.
Para conhecer de perto o potencial da produção local, a comitiva sobrevoou as cidades de Santo Antônio dos Lopes, Trizidela do Vale, Lima Campos e Capinzal do Norte. Todos os membros tiveram acesso à apresentação geral do Complexo Termelétrico, incluindo a Unidade de Tratamento de Gás (UTGs), as térmicas e a sala de controle do Complexo.
Segundo o prefeito de Santo Antônio dos Lopes, a visita aos locais se fez necessária já que uma oportunidade como esta pode abrir novos horizontes. “A empresa tem a intenção de continuar a campanha exploratória na região, como tem feito nos leilões. Isto, para nós, de Santo Antônio dos Lopes, e também de demais localidades que possam vir a despertar o interesse nesta ou em outras empresas do ramo, acende uma esperança de mais desenvolvimento para a nossa cidade”, afirmou Bigu.
Já Pedro Zinner, diretor presidente da Eneva, destacou a relação colaborativa com o Governo do Maranhão. “Recebemos de bons olhos tanto a visita do vice-governador quanto a visita do ministro. A empresa vem investindo muito no Maranhão. Isto nos permite manter uma relação colaborativa com o governo maranhense. A companhia otimiza a estrutura de capital para maximizar o retorno, mas sem esquecer do âmbito da responsabilidade social que é muito importante e que faz parte dos valores da companhia, que concretiza as suas ações em parceria com importantes programas implementados pelo Governo do Maranhão”, declarou.
Para o ministro Fernando Bezerra Filho, o Maranhão é um exemplo positivo da importância do planejamento para a exploração de blocos. “Estamos tendo a oportunidade de conhecer o maior parque térmico do Brasil, que fica no interior do Maranhão. Está aqui o exemplo de que quando uma bacia é bem estudada, explorada, apresenta tamanha quantidade de riqueza que pode gerar para o nosso país; não só do ponto de vista energético, mas também do ponto de vista de oportunidades de empregos para toda esta região do estado. Então, estamos aqui não só para conhecer um exemplo de sucesso, mas para que esta visita institucional do Ministério possa estimular exemplos a serem replicados em nosso país. O Maranhão está de parabéns”, afirmou.
O vice-governador Carlos Brandão reforçou a importância do empreendimento. “Em meio a tantas dificuldades, tantos conflitos econômicos, estarmos propondo soluções para destravar, na medida do possível, as limitações de abertura de mercado, faz toda a diferença para o investidor que está analisando as opções de investimento nos estados brasileiros. Reunimos condições para atrair grandes investidores e nos colocamos à disposição para dialogar, inclusive junto ao governo federal”, disse o vice-governador.
Formação da Eneva
A Eneva e a Parnaíba Gás Natural concluíram, em outubro do ano passado, um acordo de acionistas que uniu as duas companhias. Juntas, formam uma empresa integrada de energia, com negócios em óleo e gás e em geração e comercialização de energia.
Condições favoráveis
O elevado potencial de novas descobertas na Bacia do Parnaíba justifica o destaque dado pela ANP durante a 14ª Rodada de Licitações, assim como a escolha de áreas circunvizinhas às atualmente produtoras. Hoje, existem 22 empresas detentoras de concessões em áreas situadas no Maranhão, sendo que dez delas atuam na Bacia do Parnaíba.
Além do potencial de reservas naturais a serem exploradas, o Maranhão possui condições favoráveis para o desenvolvimento da indústria do gás natural, tais como a existência de agência reguladora, um marco regulatório estável para o setor de gás no estado e a presença de uma concessionária de gás natural, a Gasmar, criada em 2002 e que conta com a expertise e suporte de acionistas conceituados (Gaspetro e Termogás).

O cenário positivo para o desenvolvimento do setor é devido ao apoio do Governo do Maranhão, por meio das Secretarias de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) e de Indústria, Comércio e Energia (Seinc).

REPORTAGEM  WILLAME POLICARPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário