RÁDIO TROPICAL FM 89,3

quarta-feira, 14 de março de 2018

Pesquisas reconhecem avanços do Governo do Maranhão em gestão, educação e segurança.




Na contramão da crise nacional, o Governo do Estado se destaca como uma das gestões que mais avança. Os números positivos se consolidam em ações que vêm mantendo o Maranhão em ordem financeira, realizando grandes obras estruturais e editando medidas firmes de valorização aos servidores com pagamentos em dia e aumentos salariais. 

Nas últimas semanas, o Maranhão se destacou em uma série de rankings importantes, a exemplo dos investimentos em segurança, em obras, na redução de crimes violentos, sendo o que melhor remunera professores no Brasil e que teve maior crescimento da economia. “Parabenizo o nosso empresariado, os trabalhadores e vamos manter os altos investimentos públicos que têm ajudado nossa economia”, pontuou o governador Flávio Dino.

Entre as medidas significativas está o aumento dos vencimentos iniciais dos professores da rede estadual, que passaram a ganhar R$ 5.750, levando o estado a ter o maior salário do país. O valor refere-se à jornada de 40 horas e é mais que o dobro dos R$ 2.585 pagos à categoria em São Paulo. O salário dos professores maranhenses ultrapassa também o piso nacional estipulado pelo Ministério da Educação, que é de R$ 2.455,35.



Professores com jornada de 20 horas passaram a receber R$ 2.875,41, sendo este o segundo maior salário do país para esta jornada. O secretário de Estado de Educação (Seduc), Felipe Camarão, enfatiza que a medida nasce de uma decisão política voltada também para o aumento dos índices educacionais. “A educação valorizada é um caminho para implementar uma educação digna”, reforça.

A dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), Janice Nery, considerou a medida um avanço significativo. “Posso até destacar que foi uma vitória, considerando este cenário que assistimos nacionalmente”, afirmou. A medida atinge diretamente 31,5 mil professores na ativa e outros 15 mil aposentados.

O Maranhão ficou em primeiro lugar entre os estados com maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), em 2017. Capitaneado pelo agronegócio e a extração de minério, o Maranhão teve alta de 9,7%, frente à alta da economia nacional de 1%, divulgado pela Folha de São Paulo. O PIB mede a soma das riquezas produzidas no Estado. Seus dados são medidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ligado ao Governo Federal.



Outro levantamento da Folha de São Paulo destaca o Maranhão como o quarto que mais investiu entre as 27 unidades da federação. Enquanto outros estados fizeram investimentos a custos de corte de gastos, inclusive no pagamento de servidores, o Maranhão manteve o equilíbrio fiscal sem abrir mão da ampliação de serviços públicos, realizando concursos e grandes obras com a construção de escolas, unidades de saúde e infraestrutura de vias.

O jornal Folha de São Paulo mostra que o Maranhão apresentou variação positiva com aumento de apenas 1,20% na composição de tributos, enquanto outros estados aumentaram impostos em até 30,72%. O Estado passou de R$ 874 milhões em 2016 para R$ 1.175 bilhão investido no ano seguinte – que representa crescimento de 26%. Para 2018, o governador Flávio Dino anunciou investimentos de R$ 1 bilhão, recursos que vão incrementar os R$ 2,6 bilhões já investidos em todas as áreas.

Mais Segurança

Na área da segurança pública, o Maranhão é segundo do Brasil que mais ampliou os investimentos. Entre 2015 e 2017, a gestão Flávio Dino cresceu em 26% os investimentos na área - foram mais de R$ 1,5 bilhão designados no combate à violência em 2017. O índice é bem maior que a média nacional, que ficou em 1% no período.

O índice de investimento refletiu na redução de crimes como os homicídios, que na Grande São Luís caíram 40% em 2017, no comparativo com 2014. Em fevereiro deste ano, período de grande movimentação com as festas carnavalescas, a diminuição chegou a 60%, relacionado a 2014. O Maranhão tem a maior tropa de policiais da história, passando de 12 mil profissionais.

O último ranking em que o Maranhão se destaca também se refere à segurança pública. Divulgado pela organização de sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz, referente a 2017, a capital maranhense está fora da lista das 50 cidades mais violentas do mundo. O resultado é fruto dos investimentos do Governo do Estado em mais efetivo, equipamentos, armamentos, realização de concursos na área e melhorias salariais às polícias.

A capital, que estava no ranking em 2016, apresentou redução deste crime no ano seguinte, sendo a única do Nordeste e uma das três do país a não constar na pesquisa. O Brasil possui 17 cidades citadas no estudo. A pesquisa é realizada anualmente e considera as taxas de homicídios por 100 mil habitantes em cidades com mais de 300 mil moradores, para medir o índice de violência.

As medidas e operações de impacto desenvolvidas pelo sistema de segurança a partir do planejamento estratégico da gestão Flávio Dino mostra os resultados reconhecidos mundialmente, avalia o titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela. “São investimentos importantes, significativos e pioneiros, que chegaram a todo o Maranhão e refletem na queda expressiva da criminalidade e da violência”, reforça.



REPORTAGEM  WILLAME POLICARPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário