RÁDIO TROPICAL FM 89,3

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Caso Ludmila Ribeiro: Mulheres realizam protesto, advogada diz que tem medo, mas não vai se calar.





"Se pensam que irão me intimidar com ameaças, é melhor abrir os olhos, pois ele bateu tanto na minha cara e na minha cabeça, que além de sangue, ele tirou todo o medo de que eu poderia ter"

Hoje tivemos a clara demonstração da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão, mais especificamente uma demonstração dos desembargadores favoráveis ao HC concedido, de que ainda falta muito para os direitos das mulheres serem levados a sério no nosso Estado. Empoderamento do agressor, que agora está livre para cometer novos delitos, e delitos aqui deixo claro que não só de ordem física, crimes contra minha honra, contra minha saúde psicológica... Não demora muito para a ameaça que acabei de receber se confirmar.

Acabei de receber a confirmação de um dos políticos aliados de que o ex-foragido virá a público trazer a “verdade”. Estejamos todos preparados para novos crimes contra mim, e me desculpem os que tentam achar uma defesa para o que aconteceu, não tem como negar o que ele fez, está fotografado, está filmado, tenho testemunhas, ele foi preso no ato da agressão, o que mais falta?!

Se pensam que irão me intimidar com ameaças, é melhor abrir os olhos, pois ele bateu tanto na minha cara e na minha cabeça, que além de sangue, ele tirou todo o medo de que eu poderia ter.

Obrigada aos nobres desembargadores por permitirem que tudo isso se torne pior do que já é. Seguimos firmes e sem medo do que irão inventar.

Mulheres realizam protesto nesta quinta-feira

A União Brasileira de Mulheres do Maranhão convoca toda a população a clamar por uma aplicação da Lei Maria da Penha e da Lei Penal que respeite as mulheres. Somos contrárias a decisão equivocada de conceder liberdade para um criminoso foragido em caso de violência doméstica. No caso este agressor e a postura do judiciário maranhense, coloca todas as mulheres em risco. Não queremos ser cúmplices de um feminicídio anunciado. Exigimos justiça!


A advogada Ludmila Rosa Ribeiro não pode pagar com a vida pela misoginia de um judiciário cego ao fato de muitas mulheres morrem em conseqüência da aplicação anacrônica da lei.

A responsabilidade é do Estado, a responsabilidade é de toda sociedade. Necessitamos mudar a trágica cultura de violência contra as mulheres, e sem um judiciário que nos respeite na aplicação da Lei, isso se torna impossível.

Por isso, a UBM MA, vem a público expressar solidariedade a advogada Ludmila Rosa Ribeiro e convocar todas a estarem presentes no ATO EM DEFESA DA VIDA DAS MULHERES QUE SOFREM VIOLÊNCIA, que vai acontecer hoje, quinta-feira, 05/04, às 9h, na frente do TRIBUNAL DE JUSTIÇA - um ato de repúdio ao machismo estrutural que motiva essa postura do judiciário maranhense.


Acreditando que não haverá uma sociedade melhor sem antes romper com toda e qualquer forma de opressão, a UBM vai às ruas pela vida das mulheres até que todas sejamos respeitadas e livres.


REPORTAGEM WILLAME POLICARPO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário