RÁDIO TROPICAL FM 89,3

sábado, 11 de maio de 2019

Após agredir e ameaçar de morte jornalista, prefeito de Imperatriz pede desculpas à população: ‘Eu não agi, eu reagi'

Agressão foi na manhã desta sexta-feira (10) na sede da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Sedel). Após repercussão, o prefeito alegou que era alvo de ataques por parte do jornalista.
O prefeito de Imperatriz e ex-delegado da Polícia Civil, Assis Neto (DEM) agrediu o jornalista Justino Filho na manhã desta sexta-feira (10) durante uma visita a sede da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Sedel) do município. O jornalista já foi candidato a prefeito do município em 2012.

“Eu estou aqui na sede da Sedel e fui agredido pelo prefeito de Imperatriz em um ato covarde. Eu não estava nem esperando. Eu fui atingido aqui por um ato covarde e queria que a população de Imperatriz soubesse que não estava esperando por isso”, disse o jornalista.

À polícia, Justino Filho relatou que foi chamado a sede da Sedel para uma reunião com o secretário de esportes do município, Bispo Eudes quando o prefeito entrou na sala e o agrediu. O radialista alegou que foi xingado e ameaçado de morte por Assis Neto.

Após a repercussão do caso, o prefeito de Imperatriz divulgou um áudio pelas redes sociais explicando a agressão. De acordo com Assis Neto, uma longa sequência de ataques pessoais a ele e a sua família, o ‘tiraram do sério’ e por isso, ele agrediu o radialista.

“Eu devo dizer que a longa sequência de fatos, de agressões, sinceramente me tiraram do sério. Por último, de ontem para hoje, o ‘lamaçal’ das redes sociais, esse elemento (…) vem atentando contra a honra da minha família. Vem sempre tentando agredir não a gestão, mas a minha pessoa e a minha família. (…) Eu não agi, eu reagi! Antes eu vinha buscando a proteção da minha honra na Justiça, mas ele não respeita nada da lei e das sentenças”, explicou Assis Neto.

Na mesma gravação, Assis Neto pediu desculpas à população de Imperatriz, disse que não vai correr das suas responsabilidades e espera que os fatos sejam apurados.

“Antes de tudo, meu sincero pedido de desculpas à população de Imperatriz e todas essas famílias dessa cidade (…) que se apurem todos os fatos. Eu não corro das minhas responsabilidades, respondo sobre meus atos, mais uma vez peço desculpas à população de Imperatriz, mas eu tenho família gente. Eu sou prefeito da cidade mas tenho família, tenho filhos, tenho pai, tenho mãe, tenho amigos e eu não aceito ser tachado de criminoso, muito menos por um cidadão que não tem moral para falar de ninguém”, disse o prefeito.

De acordo com a Polícia Civil, serão ouvidas testemunhas que presenciaram a agressão e em seguida, o prefeito Assis Neto será convocado para prestar esclarecimentos sobre o caso.
Associação repudia agressão

A Associação de Imprensa da Região Tocantina (AIRT) condenou a agressão do prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, ao jornalista Justino Filho, crime ocorrido na manhã de hoje (10) dentro de uma secretaria. Nas redes sociais, banner e áudios de assessores do prefeito são estimulados a comemorar o feito, reafirmando o tom da administração municipal, movida a perseguições e rachas com antigos aliados.

Abaixo a nota da Associação:

A Associação de Imprensa da Região Tocantina (AIRT), vem a público solidarizar e ao mesmo tempo, veementemente, repudiar as agressões físicas sofridas pelo radialista Justino Filho, na amanhã desta sexta-feira (10), nas dependências da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEDEL), pelo atual prefeito de Imperatriz, Francisco de Assis Ramos.

O radialista sofreu uma brutal agressão, com socos no rosto e ponta pés, quando exercia sua atividade profissional, em busca de informações.

Entendemos que atitudes como esta extrapolam e atingem a liberdade de expressão, como ato Intimatório e covarde, pois não é através da violência que se resolve as diferenças ou divergências de opiniões.

Aquele que sentir que seus direitos foram feridos deve buscar a reparação na forma da lei, através da justiça, e não com atos de violência.

Não aceitamos que fatos como este passem impunes, pois vivemos em um estado democrático de direito, onde todos devem ser respeitados e a liberdade jamais cerceada.

Entretanto, queremos uma resposta das autoridades na apuração deste fato e exigimos que o agressor seja punido.

Atenciosamente:
Gonzaga Silva
Presidente da AIRT

Com informações do G1 MA

Reportagem : Willame Policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário