RÁDIO TROPICAL FM 89,3

https://cantador.app:9160/live

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Aumenta o número de queimadas nas últimas 48 horas no Maranhão

Em dois dias, já foram registrados 530 focos de queimadas no Maranhão, o que colocou o estado em segundo lugar no ranking nacional de queimadas.

Aumenta o número de queimadas nas últimas 48 horas no Maranhão. — Foto: Reprodução/TV Mirante.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), houve aumento no número de queimadas nas últimas 48 horas no Maranhão. A situação é crítica em mais de 100 municípios do Estado, que ficam nas regiões Sul, Sudoeste e Central e fazem parte do Mapa de Risco de Fogo.

 

·         Queimadas às margens das rodovias é um problema em Santa Inês


·         Queimada atinge terra indígena Araribóia

 

O mapa leva em consideração as condições do clima, as altas temperaturas que podem chegar entre 37 e 38 graus nas horas mais quentes do dia, além da baixa umidade relativa do ar, que deve ficar em torno de 17 a 20%.

 

Segundo o INPE, nas últimas 48h já foram registrados 530 focos de queimadas no Maranhão, o que colocou o estado em segundo lugar no ranking nacional de queimadas.

 

E no acumulado de janeiro até agora, o Maranhão já registou 5.808 focos de incêndio, ficando na quinta posição no ranking das queimadas.

 

Na região Sul do estado, dois municípios estão na zona de maior risco, Balsas e Alto Parnaíba. Nas outras regiões, a situação é mais complicada no município de Fernando Falcão, que fica próximo à Barra do Corda, onde tem boa parte do território formado por terras indígenas.

 

Além da cidade de Mirador, onde tem um parque estadual com mais de 400 mil hectares.

 

O corpo de Bombeiros informou que mantém uma força-tarefa para combater incêndios dentro do Parque do Mirador e, há 30 dias, está trabalhando para tentar apagar incêndios na área que, embora seja uma reserva ambiental, ainda é povoada por moradores que ainda não foram indenizados para saírem do local.

 

Na área, a população faz queimadas para fazer roças e renovar pastos.

 

Também há preocupação das autoridades com as áreas urbanas, pois com o tempo seco e o forte calor há um grande risco de haver queimadas nessas áreas.

 

Reportagem : Willame Policarpo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário