RÁDIO TROPICAL FM 89,3

https://cantador.app:9160/live

segunda-feira, 1 de novembro de 2021

Maranhão na vergonha nacional: prédio do Fórum de Justiça já torrou R$75 milhões e continua abandonado


Com as obras abandonadas há exatos 11 anos, o Fórum de Justiça da Comarca de Imperatriz leva hoje o Maranhão ao palco da vergonha nacional. 


O Repórter Secreto vai mostrar que já foram gastos R$ 75 milhões e o prédio permanece em estado de esqueleto. Para concluir, faltam ainda uma montanha correspondente a uns mais de R$ 100 milhões. 


O programa da TV Globo, o Fantástico, exibiu ontem, domingo (31) a denúncia da dinheirama enterrada no esqueleto do prédio e o estado de abandono da obra


E ainda vai encerrar com aquele indagação que ficou conhecida no Brasil quando se trata de corrupção: cadê o dinheiro que tava aqui? 


O caso foi aberto a partir de representação do Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos (CPCDDH) Padre Josimo, com destaque para suspeitas sobre substanciais valores repassados pela corte para a construção, embora a obra, pouco mais de um ano antes, haver sido paralisada após alcançar quase 50% da execução. 


O contrato para construção do fórum foi assinado em 5 de junho de 2013, originalmente por R$ 147,4 milhões, com empreiteira LN Incorporações Imobiliária, de São Luís, e a obra deveria ter sido inaugurada 18 meses depois. 


Passados oito anos, porém, a obra continua parada, sem prazo para entrega, a imagem no local é de completo abandono e o inquérito civil que apura o caso segue até hoje não finalizando e sem conclusão. 


Sede das Promotorias da Capital 


Tivemos outro escândalo igual na construção da sede das Promotorias do MP de São Luís. 


Em 21 de agosto de 1977, a Procuradoria Geral de Justiça celebrou contrato com a Construtora Proenter para a edificação da sede na capital, sendo inaugurada em 14 de dezembro de 1999. Nas primeiras chuvas de 2000, o muro de arrimo caiu, surgiram vazamentos e infiltrações nas salas e gabinetes. 


Em 2002 foi contratada a Terpasa e em seguida a Castelo Branco Serviços de Engenharia para reforma gereal e reforço na estrutura de concreto armado. E tome mais milhões. Só essa empresa realizou três aditivos de prazos e contratos. Uma vergonha! 


Garden Shopping, próximo do viaduto da Cohama, acabou abrigando por um valor bem alto a sede das Promotorias Públicas. 

 

Reportagem: Willame Policarpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário