A categoria rejeitou a nova proposta de reajuste que foi apresentada pela Prefeitura Municipal de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), na audiência de conciliação marcada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), na manhã desta quarta.

A Semed, que se pronunciou através de nota, revelou que durante a audiência apresentou uma proposta de 10,06% de reajuste salarial para os professores do Sindeducação. “O percentual ofertado demonstra todo o esforço do Município para assegurar este reajuste aos professores (ativos, inativos e pensionistas de nível superior), respeitando a realidade orçamentária e financeira municipal, além de garantir a valorização dos profissionais do Magistério e os investimentos necessários para a educação”, diz a nota.

Após receberem a proposta de 10,06%, a categoria levou o valor ofertado pela Prefeitura para uma assembleia do Sindeducação, que iniciou às 17h desta quarta. Depois de avaliação dos profissionais da educação, eles decidiram seguir com a paralisação.

A greve

Os professores aprovaram no último dia 8 de abril o início do movimento paredista após a Prefeitura de São Luís oferecer reajuste de 5%. Segundo o Sindeducação, que representa a categoria, esse percentual está aquém do que a categoria reivindica em sua campanha salarial, que é a atualização do piso nacional (de 33,24%) para professores com Nível Médio e a repercussão em toda tabela salarial do magistério, com 36,56% de reajuste para todos os professores com Nível Superior.

O Sindeducação esclarece que desde o ano de 2021 tentava abrir o diálogo com a gestão municipal para iniciar as tratativas da campanha salarial, porém, somente no dia 10 de fevereiro de 2022 é que a Prefeitura de São Luís instaurou a Mesa de Negociação e, enquanto o sindicato ponderava sobre a importância de se levar em conta que toda a categoria fosse contemplada com um reajuste digno, o prefeito Eduardo Braide remeteu à Câmara Municipal de São Luís antecipadamente um Projeto de Lei para atualizar os vencimentos de apenas 889 professores, que são do Nível Médio.

A categoria é formada atualmente por mais de 8 mil profissionais, entre ativos e aposentados.

Reportagem : Willame Policarpo